As penalizações nas reformas antecipadas

Manostaxx

The text that follows is owned by the site above referred.

Here is only a small part of the article, for more please follow the link

SOURCE: http://saldopositivo.cgd.pt/reformas-antecipadas-como-calcular-penalizacoes/

Se tem 60 anos e, pelo menos, 40 anos de descontos e está a pensar em pedir a reforma antecipada, saiba como se calculam as penalizações.

Penalização de 0,5% por cada mês que falta até atingir a idade da reforma

As regras ditam que por cada mês de antecipação da reforma face à idade legal há lugar a uma penalização de 0,5%. Quer isto dizer que se uma pessoa fizer agora 60 anos e quiser pedir a reforma antecipada irá ter uma penalização que irá recair sobre os 72 meses que lhe faltam a até atingir a idade legal de acesso à reforma (66 anos). Ou seja, a penalização será de 36%. Contas feitas, significa que se um trabalhador que se reformasse aos 66 anos tinha direito a uma pensão no valor de 1.500 euros, se optar por solicitar a reforma antecipada aos 60 anos, o valor da pensão a receber cai para os 960 euros.

Fator de sustentabilidade dita corte adicional nas pensões

Mas atenção: este não é o único corte que recai sobre as pensões antecipadas. Sobre o valor apurado os beneficiários terão ainda de contabilizar o corte adicional que deriva da aplicação do fator de sustentabilidade. Recorde-se que este indicador – introduzido em 2008 na fórmula de cálculo das pensões – define as reduções progressivas que vão sendo feitas no valor das pensões ao longo dos anos, em função da esperança média de vida.

Em 2014 e também em 2015, este fator aplica-se apenas a quem peça a reforma antes dos 66 anos. O fator de sustentabilidade é atualizado todos os anos e segundo o diploma publicado em dezembro do ano passado, em 2015 a aplicação do fator de sustentabilidade resultará num corte de 13,02% nas pensões.

Em termos práticos, como é que este corte é aplicado? Pegando no exemplo anterior de um trabalhador que se se reformasse aos 66 anos teria direito a uma pensão de 1.500 euros e que se o fizesse aos 60 anos veria o valor da sua reforma cair para os 960 euros, por via da aplicação das penalizações. Neste caso, o corte de 13,02% que decorre do efeito do fator de sustentabilidade será aplicado sobre os 960 euros. Ou seja, sobre o valor da pensão apurado após as penalizações previstas na lei para as pensões antecipadas. Contas feitas, o fator de sustentabilidade irá retirar mais 125 euros ao valor da pensão deste beneficiário, sendo que no total, a pensão a receber cifrar-se-ia apenas nos 835 euros brutos. Em termos globais, o pedido de reforma antecipada deste beneficiário resultaria numa redução de 44,3% no valor da pensão.

Como reduzir as penalizações?

Apesar da severidade dos cortes a que estão sujeitas as reformas antecipadas, alguns beneficiários poderão conseguir reduzir estas penalizações se tiverem mais do que 40 anos de descontos. E, neste campo, o novo diploma também traz algumas novidades. “Quando o beneficiário na data da apresentação do requerimento da pensão antecipada ou na data indicada no requerimento para início da pensão tiver carreira contributiva superior à exigida no n.º 2 do artigo 21.º, o número de meses de antecipação a considerar para determinação da taxa global de redução da pensão é reduzido de quatro meses por cada ano que exceda os 40”, pode ler-se no decreto-lei.

Quer isto dizer que por cada ano de descontos que os beneficiários tiverem a mais face aos 40 anos de contribuições para a Segurança Social têm uma redução de quatro meses do período que é tido em conta para o cálculo das penalizações previstas para as reformas antecipadas. Isto significa que, por exemplo, um beneficiário que tenha feito agora 60 anos e acumule 42 anos de descontos, as penalizações serão calculadas não sobre os 72 meses que lhe faltam a atingir a idade legal da reforma (66 anos), mas sim sobre 64 meses (quando o beneficiário atingir os 65 anos e quatro meses). Isto acontece, porque este beneficiário tem direito a uma redução de oito meses no período que serve de base ao cálculo das penalizações, em virtude de ter dois anos a mais de descontos. Em termos práticos, os anos de desconto acima dos 40 podem fazer uma diferença considerável no apuramento do valor das pensões.

Veja-se os seguintes exemplos:

Tem mais de 40 anos de descontos? Veja como as penalizações podem ser reduzidas

Ex: Caso de um beneficiário que se solicitasse a reforma apenas na idade legal (66 anos) teria uma pensão no valor de 1.500 euros.

*Os meses de penalização assinalados já têm em conta a bonificação de quatro meses por cada ano de descontos acima dos 40 anos de carreira contributiva.

 

Veja também nas simulações seguintes o impacto que pode ter no valor da reforma a decisão de pedir a reforma antecipada aos 60 anos ou aos 61, 62, 63 ou mesmo aos 64 anos.

 

Quanto mais cedo pedir a reforma, menor será o valor da pensão a receber

Ex: Caso de um beneficiário que se solicitasse a reforma apenas na idade legal (66 anos) teria uma pensão no valor de 1.500 euros.

*Na impossibilidade de saber qual será o factor de sustentabilidade em vigor nos próximos anos, os cálculos apresentados tiveram em conta o factor de sustentabilidade previsto para 2015.

 

Nota: Os cálculos apresentados são meramente indicativos, dado que têm em conta apenas as principais variáveis que determinam o valor das pensões antecipadas. Dependendo da situação específica de cada beneficiário poderá haver outros elementos que determinem um valor diferente da pensão antecipada.

One Reply to “As penalizações nas reformas antecipadas”

Leave a Reply to Tiago Silva Cancel reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *