OS 7 KPIs MAIS COMUNS PARA MONITORIZAÇÃO DA PRODUÇÃO

Manostaxx

The text that follows is owned by the site above referred.

Here is only a small part of the article, for more please follow the link

SOURCE:

bresimarlogo

INTRODUÇÃO
Filosofias estratégicas ou práticas de produção como Kaizan, Lean Manufacturing, Six Sigma, Gestão da Qualidade Total e Melhoria Contínua, são utilizadas por muitas organizações de forma a ajudar na melhoria do processo produtivo, a aumentar a produtividade e a manter o nível competitivo na economia global em que estamos hoje inseridos. Apesar de serem conceitos variáveis, cada uma destas práticas utiliza KPIs – Key Performance Indicators (indicadores chave de desempenho) – para aceder, analisar e controlar o processo de produção. Mesmo quando uma organização não tem implementadas iniciativas formais de melhoria contínua, ainda podem ser realizados ganhos de eficiência por comparação através das técnicas de gestão visuais desses processos. Este white paper analisa como a gestão visual pode aumentar a produtividade através da alavancagem de 7 KPIs que podem ser utilizados para a monitorização da grande maioria das linhas de produção.

WHITE PAPER OS 7 KPIs MAIS COMUNS PARA MONITORIZAÇÃO DA PRODUÇÃO INDUSTRIAL

O QUE SÃO KPIs (indicadores chave de desempenho)?

KPIs são diversas variáveis que uma organização utiliza para aceder, analisar e controlar o processo produtivo. Estas medições de performance são frequentemente utilizadas para avaliar o sucesso em relação aos objetivos e metas definidos.

O QUE É A GESTÃO VISUAL?

A Gestão Visual é o processo de exibir informação crítica como os KPIs que estão especificamente relacionados com a produção, eficiência e qualidade. Através da exibição destes dados no layout de produção todos os colaboradores têm uma noção mais precisa dos níveis produtivos e tendem a empenhar-se mais em elevadas performances. A Gestão Visual também fornece informação útil e acionável que permite que os supervisores/responsáveis consigam fazer uma melhor monitorização da performance e determinar, em tempo real, as zonas que precisam de intervenção. Os resultados globais auxiliam no aumento da produtividade em todas as partes da organização através do aumento da eficiência, da qualidade e do tempo de operação.

kpi7prod01

7 KPIs FREQUENTES À PRODUÇÃO INDUSTRIAL

Os KPIs tendem a variar conforme a organização. Seguidamente apresentamos a lista com os 7 KPIs mais frequentemente utilizados ao nível da produção automatizada:

1. Contagem

Uma das métricas essenciais no layout da fábrica relaciona-se com a quantidade de produto fabricado. A contagem (boa ou má) normalmente refere-se tanto à quantidade de produto produzido desde a última mudança de máquina como à soma da produção de todo o turno ou semana. Muitas empresas comparam o trabalho individual e a mudança de saída de turno para invocar um espírito competitivo entre os funcionários.

2. Rácio de Rejeição

No decorrer do processo de produção ocasionalmente é produzido material rejeitado. Minimizar o material rejeitado ajuda a organização a atingir as metas de rentabilidade e por isso é importante identificar o local onde a qualidade ou a não qualidade está a ser produzida dentro dos limites toleráveis.

3. Taxa
Máquinas e processos produzem bens com variadas taxas de produção. Quando a velocidade difere, taxas mais lentas geralmente resultam em lucros ascendentes enquanto velocidades rápidas afetam o controlo da qualidade. Este é o motivo pelo qual é importante existir uma velocidade constante.

4. Objetivos de Produção

Muitas organizações exibem objetivos de produção, taxas e qualidade. Estes KPIs ajudam a manter motivados os colaboradores ao conhecerem os targets específicos da performance desejada.

5. Tempo de Ciclo da Linha

O tempo de ciclo da linha é o tempo total, ou o tempo do ciclo, para concluir uma tarefa. Este valor pode ser o tempo que se demora a produzir determinado produto, embora geralmente diga respeito ao tempo de ciclo específico de determinada operação. Através da exibição dos KPIs, os fabricantes conseguem rapidamente determinar onde está o constrangimento ou o engarrafamento em dado processo.

6. Eficácia Geral do Equipamento

A eficácia geral do equipamento é uma métrica que multiplica a disponibilidade com a performance e a qualidade para determinar a utilização de recursos. A gestão da produção usa quer estes valores (da eficácia geral do equipamento) para gerir a utilização de pessoal disponível face à eficiência da máquina.

7. Tempos Mortos

Quer sejam resultado de avaria ou simplesmente de alterações à máquina, os tempos mortos são considerados uma das mais importantes métricas a medir. Quando as máquinas não estão a operar, perde-se dinheiro pelo que reduzir os tempos mortos são uma forma fácil de aumentar a rendibilidade. As organizações que monitorizam tempos mortos tipicamente necessitam de um operador que introduza um código com a razão da paragem através de um teclado, botão ou leitor de código de barras para que os motivos de paragem mais frequentes sejam revistos no menor espaço de tempo possível.

kpi7prod02

Leave a Reply

Your email address will not be published.